Engenharia Genética - até onde nos pode levar?

Este blog foi criado no âmbito da disciplina de Biologia com o objectivo de promover discussões e debates sobre Engenharia Genética baseados nas informações à disposição no mesmo.

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Unidos no combate aos OGM's


À semelhança do que aconteceu por todo o mundo, também os portugueses se unirampara fazer frente à ameaça que os organismos geneticamente modificados representam. Apesar de serem ainda pouco estudados e investigados os seus efeitos sobre a saúde e ambiente, os OGM estão em todo o lado, como que secretamente infiltrados em quase todos os produtos que nos chegam à mesa. Por um lado há pouca informação que circule para fora das empresas que os produzem e, por outro, embora seja obrigatório desde 10 de Abril de 2000 indicar no rótulo a presença de transgénicos quando qualquer dos ingredientes for mais de 1% geneticamente modificado, a verdade é que tudo indica que a lei não está a ser convenientemente aplicada ou fiscalizada.
Embora se fale cada vez mais de transgénicos, à excepção de acções isoladas como a da Greenpeace/Quercus para impedir a entrada em Portugal de milho transgénico e das análises da DECO a alimentos suspeitos de conterem OGMs, passando por alguns debates sobre o tema, não houve esforço colectivo até à realização do 10º Encontro Nacional de Associações de Defesa de Ambiente, em Novembro de 1999. Desse encontro resultaram duas declarações conjuntas sobre os OGM’s, que foram assinadas por 24 associações portuguesas, em que se pediu o fim do cultivo de variedades GM’s em Portugal e a rotulagem efectiva de todos os alimentos contendo ingredientes transgénicos.

quinta-feira, janeiro 19, 2006

OGM's um pouco por todo o Mundo...


A maioria dos alimentos mais importantes do mundo são o grande alvo da engenharia genética. Muitas variedades já foram criadas em laboratório e outras estão em desenvolvimento.
O cultivo irrestrito e o marketing de certas variedades de tomate , soja, algodão, milho e batata já foram permitidos nos EUA sendo também é feito na Argentina, Canadá e China. Na Europa, a autorização para comercialização foi dada para fumo, soja, milho e chicória, mas apenas o milho é plantado em escala comercial (na França, Espanha e Alemanha, em pequena escala, pela primeira vez em 1998).
O molho de tomate transgénico já é vendido no Reino Unido e o milho e a soja transgênica já são importados dos EUA para serem introduzidos em alimentos processados e na alimentação animal. De fato, estima-se que aproximadamente 60% dos alimentos processados contenham algum derivado de soja transgénica e que 50% tenham ingredientes de milho transgênico. Porém , como a maioria destes produtos não estão rotulados, é impossível saber a quantidade de alimentos transgénicos presente na nossa mesa. No Canadá e nos EUA, não há qualquer tipo de rotulagem destes alimentos. Na Austrália e Japão a legislação ainda está a ser implementada. Em grande parte do mundo os governos nem sequer são notificados se o milho ou a soja que eles importam dos EUA são produtos de um cultivo transgénico ou não.

quarta-feira, janeiro 18, 2006

Uma breve definição de Engenharia Genética


Engenharia Genética e Modificação Genética são termos para o processo de manipulação dos genes num organismo, geralmente fora do processo normal reprodutivo deste. Envolvem frequentemente o isolamento, a manipulação e a introdução do ADN num chamado "corpo de prova", geralmente para exprimir um gene. O objectivo é de introduzir novas características num ser vivo para aumentar a sua utilidade, tal como aumentando a área de uma espécie de cultivo, introduzindo uma nova característica, ou produzindo uma nova proteína ou enzima.

Cadeia ADN
Exemplos são a produção de
insulina humana através do uso modificado de bactérias e da produção de novos tipos de ratos como o OncoMouse (rato cancro) para pesquisa, através de re-estruturamento genético. Já que uma proteína é um segmento específico de ADN chamado gene, versões futuras podem ser modificadas mudando o ADN de um gene. Uma maneira de o fazer é isolando o pedaço de ADN contendo o gene, cortando-o com precisão, e reintroduzir o gene para um segmento de ADN diferente. Daniel Nathans e Hamilton Smith receberam em 1978 o prémio Nobel em fisiologia e medicina graças ao isolamento das enzimas de restrição, que são capazes de cortar ADN em certos pontos. Juntamente com a Ligase, que consegue unir fragmentos de ADN, enzimas de restrição formaram a base inicial da tecnologia recombinante de ADN.

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Engenharia Genética - até onde nos pode levar?

A criação de um blog sobre Engenharia Genética foi-nos sugerida pelo professor de Biologia, que entendeu que este seria um bom elemento de avaliação. No entanto, o obejectivo primordial deste espaço não será abordar de forma exaustiva os aspectos científicos mas sim as implicações éticas que os organismos geneticamente modificados podem causar.